TRANSMUNDIAL - 24 HORAS NO AR! - Pedidos de Oração e-mail: teinho@teinho.com, WhatsApp: (75)98194-7808
   
 

OS GIGANTES DA FÉ E SEU LEGADO PARA A IGREJA


Texto Áureo: Hb. 11.1 – Texto Bíblico: Hb. 11.1-34


INTRODUÇÃO
O justo viverá da fé, essa é uma declaração emblemática na Antiga Aliança (c. 2.4), e retomada pelos autores da Nova Aliança (Rm. 1.17). Somente a fé pode levar o cristão adiante, mesmo diante das adversidades. Na aula de hoje, atentaremos para o conceito funcional da fé, em seguida destacaremos exemplos de pessoas que se sacrificaram pela fé em Deus. O enfoque desta lição será não naquilo que a fé é, mas naquilo que ela é capaz de fazer, desde que esteja alicerçada em Deus, que está para além do tangível.

1. O SIGNIFICADO DA FÉ
O princípio fundamental para a vida cristã é a fé em Deus, e essa não é apenas um fator psicológico, nem mesmo um tipo de “fé na fé”, advogada pelos adeptos da Confissão Positiva. Muitos evangélicos, influenciados por essa tendência, proveniente do movimento do Pensamento Positivo, acham que são capazes de fazer qualquer coisa, se tão somente acreditarem. Alguns deles ainda citam, de maneira descontextualizada, a declaração de Paulo: “tudo posso naquele que me fortalece” (Fp. 4.23). Mas para o autor da Epístola aos Hebreus a fé verdadeira tem Deus como seu objeto, trata-se de confiança não no que pensamos, e muito menos no que achamos que podemos fazer, antes é a dependência naquilo que Deus fez por nós, e ainda é capaz de fazer. A fé, nesse sentido, é “o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não veem” (Hb. 11.1). Por isso, em algum aspecto, há certa irracionalidade na fé, isso porque nem sempre ela se coaduna às provas atestadas pelo visível. E justamente, através dessa fé, nem sempre explicável, que “os antigos alcançaram testemunho” (Hb. 11.2). A fé pode lançar aquele que acredita em direção ao absurdo, sobretudo em uma sociedade que somente acredita no que é capaz de comprovar. Mas há aqueles que se lançam com ousadia, e em alguns casos, dão um salto maior do que a razão, crendo que por trás do mundo visível existe algo maior, e que “os mundos, pela palavra de Deus, foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente” (Hb. 11.3).

2. EXEMPLOS DE FÉ
O autor da Epístola aos Hebreus passa, a partir de então, a exemplificar por meios desses antigos, aquilo que a fé os direcionou a fazer. Pela fé, Abel “ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim” (Hb. 11.4). A fé qualificou a o sacrifício de Abel, fazendo com esse fosse aceito por Deus. Isso porque ofereceu das suas primícias, dando o melhor que tinha para o Senhor (Gn. 4.3,4), por isso, “depois de morto, ainda fala” (Hb. 11.4). Enoque também deixou seu legado, como exemplo de fé em Deus. Ele “agradara a Deus”, e por esse motivo, “foi transladado” (Hb. 11.4; Jd. 14,15). De igual modo, todos aqueles que acreditam nas promessas de Deus, serão contemplados em Sua vinda, quando a trombeta soar (I Ts. 4.13-17). É preciso ter fé, pois sem essa é impossível agradar a Deus (Hb. 11.6), essa mesma fé se fundamenta na Palavra de Deus, não naquilo que é visível. Noé é um exemplo de alguém que tomou atitudes fundamentado na sua fé em Deus, pois “depois de ser avisado das coisas que ainda não se viam, temeu... e preparou a arca” (Hb. 11.7). Abraão, o pai da fé dos israelitas, lançou-se em direção às promessas de Deus, “indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia” (Hb. 11.8). E José, que próximo da morte, antecipou que seu povo sairia do Egito, por isso orientou “acerca de seus ossos”, para que fossem levados para Canaã (Gn. 50.25; Hb. 11.22). E Moisés, “mesmo sendo grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó” (Hb. 11.24-25), sua atitude mostra que, na maioria das vezes, é melhor perder diante dos homens, e ganhar o que Deus nos prometeu. A fé de Moises estava alicerçada não naquilo que se pode ver, mas no que é invisível (Hb. 11.27). Há outros exemplos de fé, o Autor destaca o caso de Gideão, um dos juízes que confiou não na quantidade, mas na Josué, que foi escolhido para conduzir o povo para a terra de Canaã, e Gideão, que confiou mais na qualidade do que na quantidade (Hb. 11.32).

3. O RESULTADO DA FÉ
A fé em Deus sempre traz resultados positivos, ainda que esses não sejam perceptíveis imediatamente. Alguns dos exemplos de fé anteriormente citados testemunharam ainda naquele tempo o que a confiança em Deus pode resultar, entre eles destacamos Josué e alguns juízes. É o caso também de Daniel, que viu Deus fechar a boca de leões (Hb. 11.33), e de Davi e Elias, que escaparam do fio da espada (Hb. 11.34), bem como aqueles que, por meio da fé em Deus, receberam de volta aqueles que morreram, através de Elias, e o próprio Eliseu (I Rs. 17.17; II Rs. 4.32-37; Hb. 11.35). Mas isso não aconteceu com todos, alguns foram dilacerados, tantos outros torturados, por causa da sua fé, mas esses aguardam a ressurreição (Hb. 11.35). Porém, é preciso destacar que nem sempre obtemos as vitórias que desejamos no tempo presente. Alguns somente receberão o livramento de Deus na eternidade, e não poucos por meio da morte. Mas estamos certos que as aflições do tempo presente não se comparam com a glória que em nós haverá de ser revelada (Rm. 8.18). É provável que alguns, como Nabote, sejamos apedrejados, ou como Isaias, serrados ao meio, e perseguidos e mortos, como foram os profetas no tempo de Jezabel (I Rs. 19.10). Descansamos na convicção que aqueles que foram sacrificados, por causa da sua fé, eram valiosos aos olhos de Deus, e que o mundo não era digno deles (Hb. 11.38). Por isso é apropriado lembrar sempre que “preciosa é a vista do Senhor, a morte dos seus santos” (Sl 116.15).

CONCLUSÃO
A fé em Deus faz toda diferença, e por meio dessa, graça de Deus alcança a todos, hebreus e gentios, homens e mulheres. O exemplo de Abraão e Raabe, catalogado em Hb. 11, entre outros, nos inspiram a confiar no Senhor. É possível que a atitude daqueles que agem por fé não seja compreendida por aqueles que se pautam pelo visível. Mas aqueles que persistirem até o fim serão arrolados nessa mesma galeria, porquanto, conforme expressa o hino da Harpa Cristã, continuaram firmes nas promessas de Jesus.

BIBLIOGRAFIA
BROWN, R. The message of Hebrews. Downers Grove: IVP, 1982.
PFEIFFER, C. The Epistle to the Hebrews. Chicago: Moody Press, 1962.