RÁDIO CRISTÃ - 24 HORAS NO AR! - Pedidos de Oração e-mail: teinho@teinho.com, WhatsApp: (75)98194-7808
   
 

QUEM É O ESPÍRITO SANTO


Textos: Jo. 14.16 – Jo. 14.16,17,26; 6.13-15
e-mail:irmaoteinho@irmaoteinho.com
Twitter: @cdkm


OBJETIVO: Mostrar aos cristãos que o Espírito Santo é a Terceira Pessoa da Trindade Santíssima e, à semelhança do Pai e do Filho, é Deus.

INTRODUÇÃO: Vamos começar um trimestre histórico para o movimento pentecostal no Brasil. No estudo desta semana, veremos a respeito da pessoa e obra do Espírito Santo, com ênfase na Sua divindade.

1. O ESPÍRITO SANTO NO ANTIGO TESTAMENTO: No Antigo Testamento o Espírito Santo está presente já no ato da criação (Gn. 1.2). O Espírito Santo estava atuando na criação, pois, conforme está escrito no livro de Jó, Pelo seu Espírito, ornou os céus (Jó. 26.13). No Dilúvio, também lemos a respeito da manifestação do Espírito Santo. O dilúvio foi a resposta de Deus, já que “o meu Espírito não agira para sempre no homem” (Gn. 6.3). Desde aquele tempo, já estava manifesta a rebeldia do ser humano contra o Espírito de Deus (Hb. 3.7,8). No exercício da liderança no Antigo Testamento, o Espírito Santo exerceu papel preponderante. Durante a caminhada do povo de Israel, o Espírito Santo deu sabedoria e autoridade a Moisés para liderar (Nm. 11.16,17). O Espírito de Deus também capacitou Bezaleel para a construção do tabernáculo (Ex. 31.1-4), dando-lhe também habilidade para ensinar (Ex. 35.35). Josué, o sucessor de Moisés, recebeu do Espírito Santo a autoridade para comandar o exército do Todo Poderoso (Js. 6,10). Saul, o primeiro rei de Israel, foi agraciado pelo Espírito Santo com autoridade para reinar e profetizar (I Sm. 10.6; 10.10). Mas foi Davi, o sucessor de Saul, que desfrutou com maior impacto da presença do Espírito Santo (I Sm. 16.13), por isso, quando esse pecou, pediu ao Senhor que não retirasse dele o Seu Espírito Santo (Sl. 51.11). Os profetas do Antigo Testamento profetizaram pelo Espírito Santo (Ez. 2.2; 3.24).

2. O ESPÍRITO SANTO NO NOVO TESTAMENTO: No Novo Testamento, o Espírito Santo age de maneira especial. Ao anunciar o nascimento de João Batista, o anjo declara que este “será cheio do Espírito Santo já do ventre materno” (Lc. 1.15). A Maria, o anjo Gabriel anunciou o nascimento sobrenatural do Messias, pelo Espírito Santo (Lc. 1.34,35). O Espírito Santo atuou não apenas na concepção de Jesus, mas em todo Seu ministério. No Seu batismo, o Espírito Santo veio sobre Ele (Jô. 1.33; Lc. 3.22). O próprio Espírito Santo se encarregou de conduzir Jesus ao deserto, quando esse foi tentado por Satanás (Mt. 4.1; Mc. 1.12; Lc. 4.1). Ao longo do Seu ministério terreno, Jesus, mesmo sendo Deus, não quis usar suas prerrogativas divinas, por isso, atuou pelo Espírito Santo (Lc. 4.14). Jesus não só realizou milagres e maravilhas pelo Espírito Santo, Ele também batizou a Sua igreja a fim de que essa testemunhasse com Poder da Sua morte e ressurreição (Jo. 1.33; At. 1.8; 2.33). O Espírito Santo também conduziu a igreja na ordenação de ministros (At. 132.2-4), na solução de conflitos (At. 15.28) e na obra missionária (At. 16,6,7,9). Para o futuro, durante o milênio, existe a promessa de um derramamento total do Espírito Santo, principalmente sobre os judeus (Is. 32.15-18). Em Is. 44.3 está prometido: “derramarei água sobre o sedento e torrente sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade e a minha benção sobre os teus descendentes”.

3. A PESSOA E A OBRA DO ESPÍRITO SANTO: O Espírito Santo não é, conforme afirmam algumas seitas, uma força ativa de Deus. A Escritura Sagrada revela a personalidade do Espírito Santo. Ele é apresentado com títulos humanos, como um Consolador (I Jo. 2.1), ou conforme lemos em Jo. 14.16, um Outro Consolador, enviado pelo Pai, para substituiu Cristo, uma pessoa divina. O Espírito Santo é identificado, na Bíblia, com o Pai e com o Filho (Mt. 28.19; II Co. 13.13). Existem atributos pessoais que são direcionados ao Espírito Santo: pensamento (Rm. 8.27), ter vontade (I Co. 12.11), sentir tristeza (Ef. 4.30) sofre resistência (At. 7.51). Como pessoa, o Espírito Santo revela (II Pe. 1.21), ensina (Jo. 14.26), testemunha (Gl. 4.6), intercede (Rm. 8.26),fala (Ap. 2.7), testifica de Jesus (Jo. 15.26) e comanda (At. 16.6,7). O Espírito Santo não é apenas uma pessoa, Ele é Deus, pois é reconhecido pelos apóstolos como tal (At. 5.3,4), tendo atributos divinos de eternidade (Hb. 9.16), onipresença(estar em todos os lugares ao mesmo tempo) (Sl. 139.7-10), onipotência(um ser capaz de fazer tudo) (Lc. 1.35) e onisciência(capacidade de saber tudo infinitamente) (I Co. 2.10). Sendo Deus, o Espírito Santo tem poder para transformar seres humanos em novas criaturas por meio do novo nascimento (Jo. 3.3-8). O Espírito Santo tem poder para dar vida, pois Ele levantou Cristo da morte mediante a ressurreição (Rm. 8.11; I Co. 15.26). Assim como o Espírito Santo vivificou a Cristo, também, nós, no arrebatamento, passaremos pela transformação provida por esse mesmo Espírito Vivificador (Rm. 8.11).

CONCLUSÃO: O Espírito Santo não é apenas uma força ativa, mas uma Pessoa da Trindade Divina. Ele atuou tanto no Antigo quanto no Novo Testamento. Nos dias de hoje também podemos depender desse adorável Espírito Santo. Ele continua vivo e ativo, por isso, “quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Ap. 2.7,11).PENES NISSO!

Deus é Fiel e Justo!